Quase um conto erótico

Por Juliana

Atire a primeira pedra quem nunca começou uma história com “isso aconteceu com um amigo meu, sabe”? Típico. Pra não colocar a própria cara à prova. Acontece geralmente com situações engraçadas ou constrangedoras, certo? Pois escolhi um momento de uma amiga (não fui eu, sério!) pra começar essa segunda de forma leve e divertida.

Foi na semana passada. Meu celular tocou e ela ria desesperadamente do outro lado. Sempre tem aqueles amigos, no mínimo, engraçados, para os quais você atribui as situações mais inusitadas que podem acontecer. E eu já me coloquei a gargalhar curiosíssima pelo o que estava por vir.

Chegou a fatura do cartão de crédito. Entre as despesas, uma parcela de cem reais. Uma de duas. Depois de quebrar a cabeça por bem menos tempo do que poderia (pessoas inusitadas geralmente são ansiosas), ela ligou para os pais, pedindo ajuda para desvendar o mistério.

E então ficaram os três ali, ela de um lado da linha, a mãe do outro e o pai no computador, pois hoje em dia há grandes chances do santo google resolver tudo. A compra foi debitada às dez e meia de uma quinta-feira. Ela estava tão curiosa quanto eles pra entender o que tinha acontecido. Cartão clonado? Possibilidade descartada quando ela encontrou o canhoto amarelinho. Putz… a memória começava a reaparecer.

Já aconteceu com você mais do que uma vez, vai?! Insiste pra lembrar de algo e a recordação falha, parece que o cérebro está de brincadeira. Aí, inesperadamente, puf! Lembrou!

“Mãe, já sei, mas não vou te contar porque tenho vergonha.” Não colou, claro. A mãe já deveria estar esperando as coisas mais terríveis do planeta, essa tendência terrorista que só elas entendem. “Bom, então tá. Eu e mais duas amigas fomos a um sex shop.” Silêncio.

Você pode me dizer, caro leitor, que isso é um exagero, pois até sua avó já matou essa curiosidade. Mas imagina vindo de uma família um pouco “tradicional”, discreta… longe de “filha, vem aqui e me conta como foi a noite com seu namorado!”. Bem longe!

Aí, segundos constrangedores, a mãe pergunta: “mas filha, o que você comprou com duzentos reais num sex shop?”.

E responde a desencanada: “Poxa mãe, aí já é demais, eu não fico perguntando o que você faz com o papai!!!”.

Risos e risos na nossa ligação, do começo ao fim.

Talvez, se vocês insistirem um pouquinho, essa pessoa revele sua identidade. Afinal, bom humor não lhe falta. Até quinta!

Anúncios

5 Comentários

Arquivado em Uncategorized

5 Respostas para “Quase um conto erótico

  1. Cecília

    Essa mesma amiga quando me contou a história caímos de tanto rir! Aliás ela é definitivamente uma contadora de história nata! Vou me lembrar a vida toda! haha, vou sentir falta das nossas risadas diárias!! Bjs

  2. kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk *rola de rir*
    Vai, Ju, só pq eu disse que a Mari tem veia cômica vc veio com essa?
    Toca eu escrever um texto engraçado, agora!
    Adorei! Eu consegui ouvir sua voz ao ler o texto e já fui rindo junto!
    Obrigadíssima! Animou master minha segunda feira! bjos

  3. Rodrigo

    eu só fiquei curioso com “o que raio foi comprado com 200 reais por 3 amigas…” rsrs

  4. Ju, eu não quero nem saber quem é, mas eu quero e agora PRECISO saber o que essa menina comprou!!! rs…

  5. E não foram R$ 200 para as três, mas só pra ela. Usem a imaginação! =P

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s