Chorar junto

Por: Marianna Abdo

Quando uma criança cai, por menor que seja o arranhão, ela sempre busca em volta um olhar de conforto. Aprendi com a minha mãe que nessa situação não devemos dizer “isso não foi nada”. Não devemos arrancá-la do chão com pressa como se ela não tivesse o direito de ficar ali por um tempo, o suficiente para se recuperar daquele susto, daquele tombo injusto. 

Não há mal nenhum em respeitar o seu tempo. Não quer dizer que aquele choro vai durar para sempre. Daqui a pouco, ela vai levantar e voltar a brincar. Mas não minimize a sua dor. 

Isso vale em qualquer idade. 

“Fica forte, você não pode chegar lá chorando, ele precisa da sua força”. Fiz tudo ao contrário porque acredito no chorar junto. 

“A sua dor é a minha dor”. 

Eu sei que amanhã ou depois você vai levantar e pegar o brinquedo do chão. Até lá, é seu direito chorar.

Anúncios

7 Comentários

Arquivado em Marianna

7 Respostas para “Chorar junto

  1. Engraçado, sempre disseram para mim diante das adversidades que meus 22 anos me permitiram que “vc precisa ser forte”, forte para sua mãe, para seu namorado, para sua irmã, para sua melhor amiga. Entendo o “chorar junto”, mas também acredito que ficamos um tantinho mais fortes ao dar apoio a alguém mantendo a seneridade. Claro, já tivemos uns momentos que chorei junto, nem eu, que costumo sempre ter um palpite para o problema dos outros, achava solução. Descobrimos que a melhor solução é desabafar e dar tempo ao tempo.

  2. Fabiana

    ‘Levantar e apanhar o brinquedo’ pode ser traduzido no mundo dos adultos, como ‘levantar e começar de novo’. Quando a dor da queda não cabe no peito, quando a queda é maior que as nossas próprias forças, é preciso buscar colo. Colo daqueles a quem amamos, colo da espiritualidade amiga, colo da presença de Deus em nossas vidas. Saindo do luto pela perda de meus pais (em maio), sei que o choro e a ferida da saudade continuarão no meu coração para sempre, mas é hora de levantar, pegar o rumo da vida de volta nas minhas mãos e partir para o recomeço. É isso que esperam de mim, com seu olhar amoroso de pais e anjos de guarda. É isso que estou tentando fazer. Repetindo a lição da infância: levantar para continuar a séria brincadeira da vida!

  3. Patrícia Basilio

    É total seu direito! : ) Mas assim que acabar, enxugue as lágrimas e dê aquele seu sorriso lindo que cativa todos nós! : ) Te amo!

  4. Patty

    É total direito seu, mas assim que a tempestade acabar, enxugue as lágrimas e libere o seu sorisso cativante e ensolarado!
    Amo você! : )

  5. Acrescento:
    ” – Não chore, não fique assim. Existem pessoas sentadas no chão sem nenhuma possibilidade de voltar a brincar.
    – Sinto muito por elas, mas quero ter o direito de chorar pelo o que estou passando, sem comparações. Obrigada!”

  6. Juliana

    Ontem eu estava me perguntando se é certo me sentir assim, essa coisa de ser visceral não me arrebenta demais? Não precisei pensar muito… Não! Se eu falo “to com você” é porque to de alma, me acelera sua felicidade e me dói muito sua tristeza. Não sei se sei ser amiga de outra forma, e espero que essa ajude um pouquinho! Sempre com você, Ju

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s