Poema sem nome

Por Juliana

Um passo, a cabeça
Feito.
Mas, no peito, cadê a graça?
Minha, sua, essa alma.
E se pra mim fosse e apenas pra mim
Traduziria só em tristeza
Mas, se é amor, e pro tudo,
Há de espelhar algo de beleza
No hoje, passado perto
Agora, presente longe
Passa.
E fica, inteiro
Partes, metades
Silêncio frio
Mais nada.

Anúncios

4 Comentários

Arquivado em Juliana

4 Respostas para “Poema sem nome

  1. Cadê a graça? Mas é isso, né Ju? Se não fica nada, aquele calorzinho que nos faz acordar, pensar, sorrir do nada… qual a graça?

  2. Ai, que orgulho. “E fica, inteiro”. Mari

  3. Bel

    A graça é viver e sempre povoar o mundo e os corações com nossos sentimentos! Bel =)

  4. Ewerthon

    mto complexo pra mim… mas acho q tah nisso a beleza neh… rs…
    bjim kirida

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s