Por onde você vai?

Por Juliana

Pode ter status, ser bacana, preencher rotina, parecer atraente e tantos estereótipos que se inventam, mas fazer alguma coisa por conveniência nunca foi minha praia. Sai pra lá comodismo.

Tenho ouvido de amigos frases como “existe um vazio”, “sinto falta, mas não sei do que é”, “quero um mundo novo, recomeçar”. E fico me perguntando que vazio é esse cada vez mais difícil de preencher, de onde surge esse buraco. O que vocês acham?

Eu acho que é falta de paixão. Falta de se conhecer a ponto de saber o que te faz falta e, portanto, o que você espera, quer e acredita que essa doidera da vida vai proporcionar.

Ter a noção do que se quer minimiza os riscos ou, pelo menos, as chances de se frustrar com eles, porque, apesar de a gente bater o pé às vezes loucos pra adivinhar o futuro ou reverter o passado, isso aqui não é brincadeira, mas sim tentativa e erro, sempre vai ser, nós conscientes ou não. E é um movimento sinérgico porque encontrar-se dentro de si mesmo é inevitavelmente entender seu espaço no mundo.

Porém, morder a realidade não é tarefa fácil, diga lá! Para alcançar conhecimento, conte com sites, portais, iphone, ipad, jornais etc. Mas inteligência emocional, meus camaradas, ou a gente entende que vem lá da educação das crianças ou continuaremos colhendo como frutos essas relações, no mínimo, vazias e, na minha concepção, extremamente complicadas.

Porque simplicidade só o amor proporciona. Só o amor te projeta para o conhecimento do que realmente pulsa. E amor não é algo que a gente descobre o significado jogando no google. Sem chance. Amor só sabe o que é quem já sentiu. E é risco, frustração muitas vezes, se jogar em sensações desconhecidas, ver o dia turvo, não entender certas realidades desconexas, mas, pra mim, isso que é viver o pulsar da vida. E essa é a principal diferença entre quem quer sentir e quem prefere ficar de fora.

Há dois caminhos e infinitos riscos, desconhecidos e incalculáveis. A escolha, como há de ser, é de cada um de nós.

Anúncios

3 Comentários

Arquivado em Juliana

3 Respostas para “Por onde você vai?

  1. Renata Thomaz

    OOOOOOOiiiiiiiin…amei o texto Ju……..

    o bom de morar sozinha é que consigo pensar na minha vida, pq as pessoas ligam o piloto automático e nem sempre sabem o que e o porque daquilo tudo!!!!…bjinhos flor

  2. Ah, Ju! Eu concordo completamente com vc! Viver sem paixão, sem amor, sem encanto?? No marasmo de repetição sem sentido, ou de mudanças que nos causam loucuras sem fascínio? Não! Não, não! Vamos no sentido que nos dê sentido, né?! Amei!

  3. É porque no google, amor tem mais resultados que medo!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s