Sai, gripe

Por Juliana

Se você não conhece alguém que fica revoltada quando está doente, muito prazer.

Sei lá o que acontece, parece que mudo de personalidade. Sinto vontade de chorar se alguém entra na minha frente no elevador, de arrancar a cabeça do repórter que nega minha pauta, de gritar “mundo, me abrace!”, de devorar a caixa gigante de ferrero rocher que comprei pro amigo-ladrão, de enfiar a cabeça na terra e só sair quando…

Pois é. Aquela frase de cartão de aniversário “Muita saúde, que o resto a gente corre atrás” faz muito sentido quando se está debilitado. Nada como tirar um pouco do pique pra gente perceber do que somos capazes no 100%.

Aí a amiga diz “tá sem apetite?” Nem isso de bom! A gripe me deixa com uma fome de hipopótamo (hipopótamo come muito? Sei lá, deduzi pelo corpitcho).

Hoje tá difícil, olha que isso sai poucas vezes da minha boca…

Mas amanhã é outro dia, não é assim que dizem? Que ele seja sem gripe.

 

 

Anúncios

Deixe um comentário

Arquivado em Juliana

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s