No começo ou no fim, faça o que tem vontade

“Eles achavam que ela estava maluca, ridícula. Ela teria pensado a mesma coisa, se fosse uma delas se consumindo de dor. Um coração partido é engraçado para todo mundo, menos para quem está com ele partido” (A Trama do Casamento – Jeffrey Eugenides)

Por: Marianna Abdo

“Não liga pra ele porque ele vai achar que você está sofrendo”, ouvi uma amiga aconselhar a outra no metrô.

Senti aquele arrepio na espinha que sinto todas as vezes que ouço essas dicas prontas para fins de relacionamento. Olhei pra coitada da receptora e vi que o cara não estaria errado se pensasse que ela estava sofrendo. Tudo nela era sofrimento: os ombros caídos que o pé na bunda causa, as olheiras e bolsas logo abaixo dos olhos tristes, o cabelo sujo de quem se esforçou tanto pra levantar da cama que esqueceu do shampoo.

“Você precisa dar espaço, ele precisa sentir sua falta”.

Que espaço, Jesus? Espaço é o buraco imenso que estava no peito daquela menina. Espaço era a marca de sol no anelar direito da zuada aliança de prata que ela devia usar. Espaço era o vazio na cama de solteira. Espaço é o que ela não teria se engolisse tudo que queria dizer. Engolir, guardar, trancar não dá espaço para a paz.  

Sempre fui contra esperar o dia amanhecer para fazer as pazes. Na minha cabeça, uma noite de bunda virada não esfria a cabeça, esfria o cuidado, a relação. Faça as pazes antes de dormir. Ou pelo menos tente. Não passe a noite ensaiando no espelho o que você vai dizer com os olhos inchados de chorar, só porque te falaram que não há nada como “um dia após o outro”.

“Mas eu queria dizer o quanto ele está fazendo falta pra mim, que eu ainda o amo, que podemos ser felizes juntos”.
“Amiga, olha a dignidade. Você precisa se preservar”.

Nessas alturas eu já queria gritar. No amor não existe a palavra preservar. O apaixonado não preserva nem o meio ambiente dirigindo quilômetros, pra comer um pedaço de pizza em uma padaria e voltar em uma hora. O amor não preserva nem o amor, quanto mais o corpo, a dignidade, a honra.

Queria dizer para ela que sou a favor de fazer o que der vontade até passar a régua. O que importa ele achar que você está sofrendo quando você está sofrendo? O que importa ele achar que você está na prateleira esperando ele voltar quando sua poltrona realmente é a prateleira? Sou a favor de fazer o que der vontade mesmo que isso seja ser a louca.

O único conselho que eu vejo como certo no fim de um relacionamento é esse: faça o que tem vontade. Se essa vontade é se recolher e nunca mais olhar para o individuo: faça. Se for o contrário, se joga.

Quem é amigo tem que saber que o outro precisa passar por isso protegido ou não. Quem é amigo tem que respeitar a vontade do outro. Quem é amigo tem que dar colo sem julgamento.

Amiga, fuck se a atual vai te chamar de coitada, frustrada, acabada, mal comida e o diabo. Fuck o que ele vai pensar. Quem parte um coração, tem que saber que partiu um coração. 

Anúncios

1 comentário

Arquivado em Uncategorized

Uma resposta para “No começo ou no fim, faça o que tem vontade

  1. Teacherzinha

    Que lindo… Bom saber que não é necessário que sejamos frias e passivas para fazer valer nossos direitos… se não dissermos nós mesmas o que sentimos,quem o fará???

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s